retração gengival dentes sensíveis

→ Hipersensibilidade dentinária (dentes sensíveis) – tudo que você PRECISA saber!

Digamos que, de cada 10 clientes que atendo no meu consultório, 5 relatam sofrer com dentes sensíveis, este problema que, na maioria dos casos, pode ser resolvido ou controlado facilmente.

Como a hipersensibilidade dentinária apresenta um percentual considerável de ocorrência nos clientes, vou explicar detalhadamente o assunto.

1 – O que é a hipersensibilidade dentinária dentes sensíveis?

A hipersensibilidade dentinária (dentes sensíveis), como já dito, atinge boa parte da população mundial e caracteriza-se por episódios de dor aguda de curta duração (desde que haja a remoção do estímulo), provocada por estímulos externos de diferentes naturezas (explicação adiante).

Este desconforto provoca alterações nas atividades diárias do indivíduo, visto que ocorrem restrições alimentares por parte do mesmo com o intuito de evitar a dor.

Deixo claro aqui que há necessidade de um diagnóstico diferencial com outras patologias, dentre elas a cárie dentária, que pode ocasionar episódios de dor.

2 – O que faz com que os dentes fiquem sensíveis?

Há várias teorias para a causa da hipersensibilidade dentária (dentes sensíveis). Algumas pouco aceitas, outras aceitas até hoje, mesmo sendo criada há mais de 50 anos. Um consenso entre os estudos é que este problema nunca começa espontaneamente. Vamos discuti-las de maneira simples e objetiva.

→ Hipersensibilidade dentinária (dentes sensíveis) - tudo que você PRECISA saber!

O dente, como já foi explicado em outros posts deste blog, é formado por tecidos dentinários, dentre eles a dentina.

Este tecido apresenta inervações em sua estrutura que, quando em contato com estímulos externos, provocam a dor, como água gelada, por exemplo.

Este tecido não fica exposto ao meio bucal em condições normais, portanto, há necessidade de um fator que cause a exposição ao meio externo. Mas vamos entender o que é a dentina.

→ Hipersensibilidade dentinária (dentes sensíveis) - tudo que você PRECISA saber!
A dentina é um tecido do dente localizado abaixo do esmalte e cemento. Nesse tecido, encontram-se células chamadas odontoblastos.

Estes ficam localizados dentro de túbulos dentinários que, em condições normais, não se encontram expostos ao meio bucal, visto que são recobertos pelo esmalte e dentina.

Para se ter uma ideia, um pequeno desgaste na superfície da raiz pode expor mais de 10 mil túbulos dentinários a agentes externos.

A teoria mais aceita é a teoria hidrodinâmica de Brännstrom (1964), afirmando que a hipersensibilidade dentinária (dentes sensíveis) é causada pela movimentação dos fluidos dentais, que promovem um aumento da pressão nas terminações nervosas dos odontoblastos, provocando os episódios dolorosos.

Estímulos de diferentes naturezas podem provocar incômodos em dentes sensíveis:

→ Hipersensibilidade dentinária (dentes sensíveis) - tudo que você PRECISA saber!
A – Estímulos térmicos: alimentos quentes ou frios em contato com a região de dentina exposta pode ocasionar episódios dolorosos;

B – Estímulos mecânicos: pela ação mecânica na área, podem provocar stress no local e causar incômodo. Podemos citar como exemplo a escovação inadequada, hábitos parafuncionais (bruxismo, por exemplo), raspagem radicular, preparos protéticos, traumas de oclusão dental, etc.

É comum o cliente relatar sensibilidade após uma limpeza (remoção do tártaro). Isso ocorre porque a superfície exposta estava coberta pelo tártaro e, após sua remoção, a dentina fica em contato com o ambiente bucal, provocando a sensibilidade;

C – Estímulos químicos: exposição a alimentos ácidos, como frutas cítricas, promovem o desgaste da superfície dentária, expondo a dentina, que é inervada. Indivíduos que apresentam alterações como bulimia nervosa ou refluxo gastroesofágico tendem a ter uma ambiente bucal relativamente ácido, o que causa desgaste dentário. A diminuição do fluxo salivar também causa este problema.

Gestantes tendem a apresentar quadros eméticos constantes (vômitos). O conteúdo ácido pode provocar desgastes dentários caso a mesma não apresente higiene bucal satisfatória neste período, além da cárie dentária.

A região mais comumente afetada por este problema é a região cervical (próxima à gengiva) devido à menor quantidade de esmalte nesta área e a ação de outros fatores que serão discutidos adiante.

→ Hipersensibilidade dentinária (dentes sensíveis) - tudo que você PRECISA saber!
De forma geral, a região anterior, estendendo-se até os pré-molares, são as regiões que apresentam a maior incidência de desgaste. Uma possível explicação para isso seria a maior facilidade de escovação desta região, logo, apresentando um maior desgaste.

3 – O que faz com que a dentina fique exposta, tornando os dentes sensíveis??

Vários fatores promovem a exposição da dentina ao meio bucal, e logo, à ação de estímulos externos. De maneira geral, os fatores mais comuns são:

A – Escovação inadequada: constitui-se um fator relevante no desgaste dentário que finda na exposição da dentina. É comum o cliente associar a qualidade da escovação à força que é aplicada nela. Contudo, é importante saber que no creme dental, há agentes abrasivos (promovem um certo desgaste) que atuam somente com o movimento de fricção da escova, sem a necessidade de uso de força para este fim.

Estudos e pesquisas mostraram que o indivíduo tende a escovar melhor o lado oposto da boca à mão que escova os dentes, pela facilidade de acesso, logo tende a ter uma higiene melhor nesta área, com tendência a ter mais sensibilidade neste local.

Outro problema inerente à escovação errônea é a retração gengival. Com o uso de força abusiva, a escova se abre e empurra a gengiva para baixo (dentes inferiores) ou para cima (dentes superiores), expondo a região inervada do dente ao meio bucal, ficando propícia à ação de agentes externos.

Contudo, deixo claro aqui que outras situações provocam a retração gengival, como por exemplo, a placa bacteriana.

B – Traumatismos dentários: este pode ser provocado por diversos fatores. O trauma propriamente dito, decorrente de uma ação mecânica de força considerável, que pode ocasionar a fratura da estrutura dentária, expondo a dentina ao meio bucal, deixando os dentes sensíveis. Hábitos parafuncionais, como o bruxismo (ranger os dentes) ocasionam traumas na estrutura dental, promovendo a exposição da dentina.

→ Hipersensibilidade dentinária (dentes sensíveis) - tudo que você PRECISA saber!

Trauma oclusais, isto é, a não oclusão correta dos dentes, provocam fraturas na região cervical, em decorrência da fina espessura de esmalte nesta região. As forças excessivas aplicadas ao longo do dente promovem fraturas nesta região. Muitos estudos mostram a relação entre estes fatores.

C – Restaurações dentárias incompletas: que expõem a dentina aos estímulos externos;

D – Preparos protéticos: inerentes à técnica, promovem sensibilidade a estímulos externos pela exposição da dentina. Neste caso, há a combinação de fatores térmicos, mecânicos e químicos.

4 – Existe tratamento para os dentes sensíveis?

Há várias formas de tratamento disponíveis no mercado. Cada uma delas deve se adequar a realidade clínica do cliente.

Hoje em dia, há diversos cremes dentais que utilizam agentes dessensibilizantes em sua composição, como o cloreto de estrôncio e o nitrato de potássio, com o objetivo de diminuir a sensibilidade excessiva a partir da obliteração dos túbulos dentinários e alterar a polaridade das terminações nervosas dos odontoblastos, respectivamente.

Trata-se se um tratamento eficaz, contudo, torna-se paliativo se a real causa não for tratada.

Materiais dessensibilizantes promovem obliteração dos túbulos que antes estavam expostos, diminuindo ou cessando o quadro de sensibilidade.

Na maior parte dos casos, pode-se fazer uso de resinas composta para reconstituir aquela estrutura dentária, protegendo as áreas antes expostas ao meio.

O uso de flúor, seja colocado na forma de verniz (foto), ou na forma de bochechos, diminui a sensibilidade por formar fluoretos de cálcio ao reagir com a estrutura dentária. Este composto oblitera o túbulo dentinário, diminuindo a sensibilidade.

Ajustes oclusais devem ser realizados, quando necessários, para evitar que ocorra a fratura da estrutura dental na região cervical, o que provocaria a exposição dos túbulos dentinários, tornando os dentes sensíveis, provocando a dor.

Quanto ao desgaste oclusal pelo bruxismo (ranger os dentes), uma placa oclusal pode ser confeccionada, evitando assim que o desgaste dentário se perpetue cada vez mais.

Nos preparos protéticos, em decorrência da associação de estímulos causadores da hipersensibilidade durante o preparo, de preferência deve-se confeccionar uma coroa provisória no ato, para que o cliente não saia do consultório com uma quantidade considerável de dentina exposta.

Muitos estudos apontam para o sucesso da laserterapia no tratamento da hipersensibilidade dentinária. A vantagem deste tratamento está no percentual de sucesso, que ultrapassa dos 90%. A desvantagem é o custo.

Clientes que apresentam desgastes dentários decorrentes de problemas não localizados na cavidade bucal como refluxo gastroesofágico ou bulimia nervosa devem procurar os especialistas para tratamento adequado.

A diminuição salivar também deve ser levada em conta, visto que a saliva apresenta uma capacidade de tamponamento, isto é, faz com que o meio não fique ácido o bastante a ponto de provocar perda de estrutura dentária, além de outros problemas como o mau hálito. 

Tratamento de canal X dentes sensíveis

Na maioria esmagadora dos casos, a hipersensibilidade dentinária pode ser resolvida ou amenizada com os tratamentos atuais e adequados para casa caso.

Contudo, há casos que o problema não é solucionado, isto é, a dor persiste a ponto de atrapalhar consideravelmente as atividades diárias do indivíduo, sendo necessário estudar a possibilidade de tratamento de canal para cessar a dor.

Clareamento dentário X dentes sensíveis

Durante a anamnese que será realizada no clareamento dentário, faz-se necessário saber se o cliente apresenta histórico de hipersensibilidade dentária, visto que o clareamento já proporciona um aumento na sensibilidade em boa parte dos clientes, o que provocaria um aumento considerável no incômodo.

Além disso, no exame clínico, faz-se necessário analisar a existência de dentina exposta, o que causaria um grande desconforto no momento que o gel clareador entrar em contato com as terminações nervosas da dentina.

Leia mais sobre clareamento clicando aqui.

Dentes sensíveis X diagnóstico diferencial

Faz-se necessário um minucioso estudo sobre o caso para diferenciar hipersensibilidade da sensibilidade normal dos dentes. O toque na superfície exposta com a sonda exploradora (foto) já é suficiente para provocar um leve incômodo.

Há diversos fatores que provocam dor de dente, dentre eles a cárie dentária. Não há receita de bolo para o cliente achar que está com cárie, hipersensibilidade, gengivite, etc. O diagnóstico é dado pelo Dentista.

Prevenção da hipersensibilidade dentinária

A prevenção se dá pela não exposição da dentina ao meio bucal, onde estará sujeita a agentes externos já comentados neste post. Abaixo, algumas recomendações:

  • Escovação correta;
  • Evitar a ingestão exagerada de alimentos ácidos;
  • Evitar acúmulo de placa;
  • No caso de hábitos parafuncionais, tratar este problema.

Gostou da postagem?  Que bom! =)

Compartilhe com seus amigos!

Caso haja alguma dúvida, não hesite em perguntar abaixo! Mande sua dúvida que farei de tudo para te ajudar!

Grande abraço!

Wilson Correia Jr.

Comment on "→ Hipersensibilidade dentinária (dentes sensíveis) – tudo que você PRECISA saber!"

  1. Anônimo

    A iniciativa do Dr.Wilson está de parabéns, tudo muito coeso e em uma linguagem prática voltado para o atendimento clinico.

  2. Anônimo

    Boa tarde.
    Fiz duas restaurações há cerca de dois dias.
    Uma delas ficou perfeita. Tenho muito pouca sensibilidade e já como normalmente. A outra tem sido uma tortura. Se algum bocadinho de comida vai lá parar, sinto uma espécie de choque eléctrico pelo dente que demora um pouco a passar.
    O meu dentista diz que devo aguardar já que a restauração ficou longe do canal. Mas eu sinto como se tivesse algo a pressionar o dente e sempre que pressiono mais um bocadinho (às vezes até só a passar a língua) me doí imenso. Além disso o local onde levei a anestesia também me doí.
    Gostaria de saber se é normal sentir esta dor e quanto tempo devo aguardar até me dirigir novamente ao dentista.
    Obrigada.
    Elisa.

  3. Dr. Wilson Correia Júnior

    Agradeço os elogios!

  4. Dr. Wilson Correia Júnior

    Prezada,

    Se a dor estiver diminuindo, o interessante é aguardar pelo menos uns 15 dias. Caso contrário, procure a dentista para resolver o problema.

    Melhoras!

  5. denise

    conheci hoje esse blog e achei muuuito interessante! ja que hj fui ao dentista depois de 2 anos e foi diagnosticado varios problemas tipo:periodontia,cirurgico e etc então tenho muitas duvidas a tirar neste blog,ja adicionei a favoritos.Dr,Wilson aceita plano de saude?ouvi uma propaganda de um dr.Wilson em camaragibe seria o senhor?

  6. Dr. Wilson Correia Júnior

    Prezada,

    Sou eu sim! Mundo pequeno não?

    Atendo pouquíssimos convênios. Só os que me permitem realizar um trabalho digno e seguro para os clientes.

    Fique à vontade para ler o blog!

  7. Anônimo

    Dentina exposta é reversivel ? Fiz um tratamento (restauração), o dentista precisou utilizar uma especie de 'coroa' para fazer a lateral do dente (utilizou resina na restauração), esta 'coroa' machucou bastante a gengiva, e percebi que a dentita esta exposta…

  8. Dr. Wilson Correia Júnior

    Prezado,

    O recobrimento com resina tem justamente este fim: não deixar dentina exposta.

    Converse com seu dentista pra resolver o problema!

  9. Márcia

    Fiz recentemente o preenchimento com resina na retração gengival que tinha…estou satisfeita com resultado.

  10. Anônimo

    Boa Tarde,

    Ha mais de 10 anos sofro do que acredito ser dentina exposta, a dor vem principalmente da superficie dos molares inferiores (esquerdo e direito). Ela acontece atraves de estimulos mecanicos (mastigacao) e quimicos (suco de limao por ex), alimentos gelados ou quentes nao causam dor. Ate hoje nao foi possivel identificar a causa, sendo que bruxismo ja foi descartado e o desgaste nao evolui, indicando que nao é algo que tenha tratamento de causa associado, e sim, simplesmente solucionar a dor atual. O uso do creme dental Protect and Repair da Sensodyne foi o unico que aliviou um pouco a dor, porem longe de ser o ideal. Andei lendo sobre estudos novos que prometem resolver casos de dentina exposta, porem por nao ser especialista nao sei se aplicam ao meu caso. Um exemplo que gostaria de testar é o produto Clinpro XT Varnish, da 3M ESPE. Gostaria de teus comentarios, pois, ha 10 anos venho consultando com diferentes profissionais que nao procuram solucoes fora de suas rotinas, nao pesquisam por lancamentos e novas pesquisas e me dao sempre a mesma resposta que é simplesmente conviver com isto. obrigado, Lucas.

  11. Giselle Prates

    Ola….tenho retraçao no dente superior ,da frente,gostaria de saber se a colocaçao de resina nao ficaria esteticamente feio,pois quando dou um sorriso a minha gengiva fica a mostra?

  12. Dr. Wilson Correia Júnior

    Prezada,

    TEnde a ficar insatisfatório, porque vai dar o aspecto de dente grande.

    Converse com seu dentista sobre o assunto.

  13. Dr. Wilson Correia Júnior

    Prezada,

    O importante é identificar a causa. Uma delas que você mesma citou é o uso de alimentos cítricos.

    O clinpro é um selante a base de ionômero de vidro, que por apresentar as partículas maiores que os túbulos dentinários, apenas fecham os mesmo, não entrando em contato com a polpa, resultando na diminuição da sensibilidade.

    Converse com seu dentista sobre o assunto.

    Boa sorte.

Leave comment

Rua João Fernandes Vieira, 547, sala 305

Boa Vista, Recife/PE

(81) 30627303

Agende sua consulta

Horário de Funcionamento

Seg - Sex: 8:00 - 17:00

Fale Conosco

[email protected]
Dr. Wilson Correia
error: Proibida a cópia sem autorização