Herpes labial 2

→ Herpes Labial ( xixi de aranha ): CAUSAS | TRATAMENTO

→ Herpes Labial ( xixi de aranha ): CAUSAS | TRATAMENTO
5 (100%) 2056 vote[s]

Dando continuidade às lesões bucais, vamos falar de uma doença que apresenta uma alta prevalência na população brasileira e mundial: a herpes labial.

Este problema pode afetar tanto as mucosas orais como as genitálias, podendo causar problemas graves no sistema nervoso. Como a ideia é discutir sobre os problemas bucais, vamos nos deter a herpes labial. 

1- O que é a herpes labial?

É uma doença infecciosa, extremamente contagiosa causada por um vírus herpes simples do tipo I e do tipo II.

Estes vírus podem acometer com mais frequência áreas com os tecidos orais e genitais, bem com os tecidos nervosos em casos mais graves.

herpes labial fotos

O contato com o vírus geralmente ocorre na infância, porém não se manifestando neste período na grande parte dos casos.

Trata-se de uma doença muito comum, com grande parte da população portadora dos vírus, contudo, nem todos desenvolvem os sinais e sintomas da herpes labial, embora o vírus permaneça no organismo para sempre.

herpes labial fotos

Como se trata de um site odontológico, vamos nos deter sobre a herpes labial, que é geralmente causa pelo vírus do tipo I.

2 – Herpes labial Causas

Não existe um fator determinante para o aparecimento dos sintomas. Tanto é que o indivíduo, uma vez contaminado, pode ou não desenvolver os sinais e sintomas da doença.

herpes labial foto

Sabe-se que a herpes labial é uma doença oportunista, isto é, espera um momento de fraqueza do nosso organismo para atuar. Veja abaixo alguns possíveis fatores que causam o aparecimento da herpes labial:

Herpes Labial Causas:

  • Quantidade excessiva de sol;
  • Queda na imunidade decorrente ou não de infecções;
  • Stress;
  • Traumatismos no lábio;
  • Distúrbios gastrointestinais;
  • Menstruação (porque baixa a resistência do organismo);
  • Tabagismo;
  • Tratamentos com antibióticos;
  • Álcool. 

A gengivoestomatite herpética é uma condição bastante dolorosa que causa lesões na mucosa oral do indivíduo, sendo frequentemente acompanhada por febre (foto abaixo).

gengivoestomatite herpética

3 – Sinais e sintomas de Herpes labial

O indivíduo que apresenta esta doença tem como sinais e sintomas:

A – Leve irritação, coceira, vermelhidão e ardência no local (início da manifestação da doença), conhecido como período prodrômico. Quando o tratamento se inicia nesta fase, os resultados são consideravelmente melhores;

herpes labial fotos 4

B – Após esta fase, há a formação de vesículas bolhosas dolorosas (bolhas) no local, contendo um líquido no seu interior com alta concentração do vírus da herpes labial. Nesta fase, a herpes labial está clinicamente ativa. Estas bolhas rompem-se, liberando o líquido. Desta maneira, o vírus da herpes labial pode ser transmitido facilmente para outros indivíduos. Em hipótese alguma deve-se estimular o rompimento das bolhas;

herpes labial foto

C – Depois de alguns dias, ocorre o início do processo de cicatrização do local, com a formação de crostas. Não se deve remover as crostas, visto que pode traumatizar a ferida em processo de cicatrização e também pela possibilidade de restos de contaminação abaixo da ferida;

herpes labial foto

D – Após alguns dias, o local está cicatrizado, sem nenhum sinal da doença. De maneira geral, o ciclo da herpes labial varia entre 5 e 10 dias.

É muito comum a comparação das lesões de herpes labial com as aftas na boca. Deixo claro aqui que são lesões completamente distintas. Já discutimos as aftas na boca (foto abaixo) e suas repercussões clínicas. Caso não tenha lido, clique aqui e fique por dentro do assunto.

aftas na boca

Além dos sintomas acima, podemos encontrar também:

  • Febre;
  • Coceira próximo às feridas da boca;
  • Mal estar;
  • Dor nas feridas;
  • Aumento dos linfonodos do pescoço ( landras);
  • Vermelhidão na pele;
  • Dor de garganta;
  • Queimação;
  • Sensibilidade ou formigamento nos lábios;
  • Dor ao engolir.

 

4 – Como se dá a transmissão da herpes labial? Herpes labial pega?

A transmissão da herpes ocorre por qualquer contato direto com as lesões, com maior chance de contágio no período potencialmente contaminante (fase das vesículas bolhosas) que permita a troca de fluidos, promovendo o contato com o vírus da herpes:

  • Beijo;
  • Sexo oral, anal e vaginal;
  • Beijo em crianças a partir de pessoas contaminadas pelo vírus; 
  • Utilização de objetos que entraram em contato com as lesões (ex.: copos, garfos, facas, etc);
  • Pode haver também a transmissão vertical (durante o parto), da mãe para o filho, contudo, é rara.

Ainda há outras formas de transmissão como espirros, tosses, agulhas contaminadas e apertos de mão.

Apesar de haver casos de transmissão a partir de indivíduos que não apresentem nenhum sinal e sintoma, na maioria esmagadora dos casos, a transmissão do vírus da herpes labial só ocorre durante a fase da doença, isto é, após a cicatrização da lesão, não haverá mais contágio.

5 – Como saber se tenho Herpes labial? 

O diagnóstico da herpes labial é basicamente clínico, isto é, a partir da observação dos sinais e sintomas descritos acima. 

A presença de bolhas no canto da boca no local juntamente com uma anamnese bem realizada sobre o histórico médico-odontológico do cliente confirma a presença da Herpes Labial. Caso ainda haja dúvida, pode ser realizado um teste laboratorial para anticorpos HSV para confirmação.

6 – Herpes Labial Tratamento / Como tratar herper labial

Embora a doença regrida normalmente, medicações podem ser utilizadas para combater o vírus e acelerar a cicatrização da lesão.

Medicações e  antivirais são utilizadas no tratamento, devendo ser utilizadas no início da doença para diminuir o desconforto no decorrer do desenvolvimento da lesão.

Podem ser associados ao tratamento analgésicos e antiinflamatórios. Há vacinas contra o vírus da Herpes labial, mas sua comprovação  ainda é incerta.

Tratamentos a base de laser podem acelerar a cicatrização, diminuir o desconforto durante os estágios da doença e criar uma “memória imunológica”, diminuindo o as recidivas da doença.

Deve-se evitar tratamentos caseiros para herpes labial que, apesar de promover um alívio dos sintomas, não deve ser usado em substituição dos remédios de farmácia para herpes.

O tratamento em si requer, além da intervenção medicamentosa, algumas recomendações para evitar outros problemas:

A – Início do tratamento da herpes o mais cedo possível;

B – Higienizar sempre a área comprometida, independente do estágio da lesão, com água e sabão. Após a higiene do local, lave bem as mãos, pois o vírus pode ser levado através delas para outras partes do corpo. Dê preferência a papéis absorventes para enxugar as mãos e o local afetado;

C – Evite furar as bolhas no lábio e remover as crostas (cascas da ferida);

D – Durante o período da doença, evite beijar ou falar próximo das pessoas e relações sexuais, com o intuito de evitar a transmissão da doença;

E – Evite exposições prolongadas ao sol;

F – Evite a automedicação. Somente o médico ou Dentista está apto a receitar a medicação e posologia corretas para o seu tratamento;

G – Por se tratar de uma doença cujo desenvolvimento está ligado ao sistema imunológico, tenha hábitos de vida saudáveis como alimentar-se corretamente, fazer exercícios físicos e diminuir o stress;

7 – Herpes labial X complicações

Algumas complicações raras são a queratoconjuntivite (inflamação da córnea) do olho, podendo levar à perda da visão e a encefalite (infecção aguda no cérebro). É altamente letal, com grande probabilidade do sobrevivente apresentar sequelas neurológicas.

8 – Pomada para Herpes labial / remédio para herpes labial

Em geral, os remédios para herpes labial utilizados têm como objetivo aliviar os sintomas e acelerar a cicatrização. A pomada para herpes labial contém agentes antivirais, que ajudam a eliminar o vírus da herpes, facilitando e acelerando sua cicatrização.

Em geral, as medicações mais utilizadas são:

Contudo, lembro que a medicação de escolha deverá ser receitada pelo DENTISTA, o que vai incluir o número de uso diário e por quantos dias se usará o remédio para herpes labial.

9 – Como curar  herpes labial

Não há como curar herpes labial, mas sim controle da doença, evitando recidivas e, quando ocorrer, tratando da melhor e da mais rápida forma possível. Quanto mais cedo iniciar o tratamento (fase prodrômica da doença), mais rápida será sua melhora.

Como foi descrito acima, há remédios para herpes labial que atenuam os sintomas. Porém, lembro que é necessária a prescrição por um profissional habilitado.


Gostou da postagem?  Que bom! =)

Compartilhe com seus amigos!

Caso haja alguma dúvida, não hesite em perguntar abaixo! Mande sua dúvida que farei de tudo para te ajudar!

Grande abraço!

Wilson Correia Jr.

Leave comment

Rua João Fernandes Vieira, 547, sala 305

Boa Vista, Recife/PE

(81) 30627303

Agende sua consulta

Horário de Funcionamento

Seg - Sex: 8:00 - 17:00

Fale Conosco

faleconosco@wilsoncorreia.com.br
error: Proibida a cópia sem autorização