→ Conheça as 3 principais causas do mau hálito

→ Mau hálito: causas e tratamento. O guia definitivo para acabar com este problema

→ Mau hálito: causas e tratamento. O guia definitivo para acabar com este problema
5 (100%) 168 votes

Hoje iremos debater um assunto muito interessante e polêmico: A Halitose (mau hálito). Você nem precisa procurar em outro site informações sobre o mau hálito. Tudo que você precisa estará aqui! 

Em meu consultório, frequentemente ouço aquela pergunta:

“Doutor, como saber se estou com mau hálito?”

“É possível acabar com o mau hálito?”

De fato, muitas pessoas procuram na internet, em particular no google, informações sobre como acabar com o mau hálito. Na hora de procurar, coloca o termo mau hálito causas ou mau hálito causas. 

mau hálito que vem do estômago

Na primeira consulta, o dentista fará todo um exame para chegar no correto diagnóstico, isto é, tratar a causa da halitose

Os pacientes falam que não sentem o mau cheiro do hálito, e ficam sabendo do problema através de terceiros (amigo, colega, parceiro, etc.) e, algumas vezes, o alerta pode vir na forma de brincadeiras de mau gosto e apelidos. Vamos lá entender.


O que é halitose (mau hálito)?

A halitose (termo científico utilizado para mau hálito) compreende a exalação de odores ruins pela boca através da respiração. É um problema que afeta mais de 50 milhões de pessoas em todo o Brasil.


Mau Hálito Causas Prováveis

A halitose apresenta diversas causas. Para se ter uma ideia, há mais de 50 fatores considerados causa de mau hálito, porém, mais de 90% das causas se originam na cavidade bucal.

Outras causas de mau hálito possuem origem de outras problemas de saúde, como diabetes mellitus, problemas no fígado, problemas nos rins, na digestão dos alimentos, determinadas medicações, etc. 

O primeiro passo para acabar com o mau hálito é diagnosticar a causa do problema.


1. Problemas nos tecidos gengivais (gengivite e periodontite)

Entre as principais causas de halitose, identificamos os problemas que envolvem os tecidos gengivais e de suporte aos dentes, como a gengivite e a periodontite.

A. Gengivite (gengiva inchada e inflamada)

A gengivite, como o nome já sugere, é caracterizada por uma inflamação na gengiva, ocasionando uma gengiva inchada (gengiva inflamada) e que sangra bastante, algumas vezes até sem se alimentar ou escovar os dentes.

A gengivite causa mau hálito?

Na maioria esmagadora dos casos, a gengivite (gengiva inflamada) está quase sempre associada à presença da placa bacteriana (película composta por bactérias que se localiza na superfície dos dentes) e, mesmo que  o cliente ache que é algo sério, a gengivite é um problema de saúde bucal extremamente comum.

Diversas pesquisas apontam que aproximadamente 85% da população no Brasil possuem algum grau de gengivite.

Gengivite causas – por que a gengiva sangra?

Em boa parte dos casos, a placa bacteriana na superfície dos dentes é a grande responsável pela gengivite.

Existe uma inflamação na gengiva a partir da liberação de toxinas pelas bactérias pela placa bacteriana, causando uma inflamação no local, fazendo com que o paciente apresente uma  gengiva inchada, que sangra bastante e apresenta o aspecto vermelho vivo.

gengiva inflamada

O desenvolvimento  da placa bacteriana na superfície dos dentes ocorre porque o paciente apresenta uma higiene oral ineficiente.

Há outras formas de gengivite que ocorrem por outros fatores que não sejam apenas a presença da placa bacteriana nos dentes, como é o caso da gengivite gravídica, que ocorre pela alteração hormonal inerente ao período da gestação.

Porém, quando uma gestante apresenta uma higiene bucal apropriada, o aparecimento da gengivite gravídica se dará em apenas 0,03% dos casos.

Determinadas medicações, como é o caso da fenitoína (anticonvulsionante), contribuem não somente para o aparecimento da gengivite como também para o crescimento anormal da gengiva (hiperplasia gengival medicamentosa).

Caso haja o aparecimento destes problemas, o paciente deverá conversar com o profissional de saúde para discutir a possibilidade de trocar de medicação por outra que apresente menos efeitos colaterais.

Alguns problemas de saúde, como a diabetes melittus, também contribuem para o surgimento dos problemas gengivais, pois há uma dificuldade de defesa pelo organismo em consequência dos altos  níveis de glicose no sangue, isso claro, quando a diabetes mellitus não estiver controlada.

O fumo também entra como um fator que contribui MUITO para o aparecimento da gengivite, devido à  grande quantidade de substâncias tóxicas presentes no cigarro, que causam muitos problemas tanto nos tecidos da boca quando na saúde geral.

→ Mau hálito: causas e tratamento. O guia definitivo para acabar com este problema

O apinhamento dentário, que nada mais é do que  desalinhamento dos dentes decorrente da falta de espaço nos maxilares, influencia também no desenvolvimento da gengivite, pois existe uma maior facilidade de formação placa bacteriana pela dificuldade de higiene bucal.

 

→ Mau hálito: causas e tratamento. O guia definitivo para acabar com este problema

O uso de aparelhos dentários ortodônticos também influenciam na formação da gengivite por que dificultam a higiene bucal, sendo necessário um cuidado especial, além de supervisão constante do Dentista.


Quais os principais sinais e sintomas da gengivite?

Como toda problema de saúde, a gengivite apresenta  sinais e sintomas bem peculiares, diversas vezes ditos pelos pacientes que procuram tratamento, como é o caso do sangramento gengival e da gengiva inchada.

É imprescindível conhecer as características de uma gengiva saudável e livre de problemas (foto abaixo):

  • Aspecto da gengiva é róseo-claro;
  • Textura superficial da gengiva semelhante à casca de laranja;
  • Contorno regular, com a gengiva bem aderida ao dente (na gengivite, a gengiva pode estar solta;
  • Ausência de sangramento espontâneo ou provocado por leves estímulos, como a alimentação e escovação dental.

gengiva normal

Quando a gengivite não é tratada, evolui para uma condição clínica chamada doença periodontal, que pode causar não somente todos os mesmos problemas da gengivite como a destruição do osso, podendo ocasionar a perda do dente.

Na maior parte dos casos, o paciente menciona ao dentista que sua gengiva está sangrando com ou sem estímulo (menos comum).  O Sangramento gengival é um dos sinais clássicos da gengivite. Além deste, temos:

  • Gengiva inchada;
  • Gengiva inflamada
  • Gengiva com coceira;
  • Gengiva dolorida;
  • Gengiva com aspecto vermelho brilhante;
  • Diminuição da firmeza (gengiva solta do dente);
  • Gosto metálico ruim na boca.

Remédio para gengivite

Há muitos mitos na internet sobre medicações e tratamentos caseiros que acabam com problemas gengivais. É importante saber que medicações por si só não tratam a gengiva inchada.

Em outras palavras: não existe um remédio que, isoladamente, trate a gengivite e acabe com este problema.

Pode-se associar ao tratamento da gengivite medicações, como a clorexidina, para promover um melhor e mais rápido tratamento da gengivite, contudo, vale lembrar que qualquer medicação terá APENAS uma função PALIATIVA, pois não agirá na causa do problema (placa bacteriana), que só pode ser removida da forma correta  pelo dentista.

Além disso, é bom fazer uso de remédio para gengivite SEMPRE orientado pelo dentista. Por exemplo, o uso errado da clorexidina pode manchar os dentes.

Profissional responsável pelo tratamento da gengivite: dentista


B. Periodontite (doença periodontal ou piorreia)

Além da gengivite, o que causa a halitose também, inclusive de forma mais intensa, é a doença periodontal.

A doença periodontal, também denominada como periodontite ou piorréia (nome popular), trata-se de um problema de saúde bucal no qual, além de ter diverso sintomas da gengivite, incluindo a halitose, há uma destruição dos tecidos de suporte dos dentes, o que inclui o osso ao redor que dá a sustentação dos dentes da boca

doença periodontal ou periodontite

Ainda existe várias dúvidas dos pacientes em relação aos sinais e sintomas da periodontite e suas consequências não somente na saúde bucal como na saúde geral do corpo.

Quer ter uma ideia? As bactérias que provocam a periodontite podem chegar nas válvulas do coração, causando uma infecção grave denominada endocardite bacteriana, que poderá levar à morte.

Veja abaixo alguns sinais e sintomas da periodontite:

Sangramento gengival provocado (por escovação dentária) ou espontâneo (do nada) – gengiva sangrando

O sangramento gengival (gengiva sangrando) é visto tanto na gengivite (inflamação gengival) quanto na periodontite.

A gengiva poderá sangrar durante e após a higiene bucal pela escovação dos dentes, através da alimentação (morder e mastigar) ou até mesmo um sangramento espontâneo (sangrar do nada).

Gengiva com aspecto vermelho vivo brilhante ou roxo

É bastante comum também o paciente relatar (e o dentista identificar) alterações de cor na gengiva, ficando bastante vermelha e, em alguns casos, até  com a cor roxa.

Isso ocorre pela evolução da inflamação gengival, que aumenta a vascularização no local. Outro aspecto visível e importante é a gengiva inflamada ter um aspecto bem vermelho e brilhante.

Presença de Halitose (mau hálito)

Na maior parte dos casos, tanto a gengivite quanto a periodontite apresentam a presença da placa bacteriana nos dentes como agente causador. Este processo inflamatório nos tecidos provoca a liberação de gases que causam o mau hálito.

Gengiva inchada / Gengiva inflamada

Na doença periodontal, a inflamação gengival provocará um aumento de volume da gengiva (gengiva inchada).

Dependendo da situação, a gengiva inchada poderá até cobrir uma parte do dente envolvido, sendo necessária a remoção cirúrgica da gengiva crescida.

Dente mole / dente solto

Quando a periodontite não é tratada pelo dentista, evolui para um quadro inflamatório e infeccioso que provocará a destruição do osso que dá suporte aos dentes na boca.

Por isso que é bem comum o paciente mencionar que os dentes estão moles ou soltos na boca. Em casos avançados, é possível remover o dente com as mãos para se ter uma ideia.

Dependendo do estágio da perda óssea, é possível reverter o quadro deixado pela doença periodontal pela raspagem e remoção da placa bacteriana e tártaro nos dentes, que só poderá ser realizada pelo dentista.

Contudo, há situações nas quais a destruição óssea está em um estágio tão avançado que não é mais possível salvar o dente, terminando na extração dentária.

Periodontite tratamento

Tanto a gengivite como a periodontite são tratadas pelo dentista através da remoção da placa bacteriana e do tártaro no dente, através da limpeza e raspagem dental (coroa e raiz).

Além disso, para que o problema não apareça mais, o paciente deverá ser instruído a ter uma excelente higiene bucal.

Profissional responsável pelo tratamento da periodontite: dentista


Causas prováveis do mau hálito

2. Saburra lingual (língua branca)

Dentre as principais causas de mau hálito de origem na boca, encontramos como principal causador do mau hálito a saburra lingual.

Tratar a saburra lingual, conhecida popularmente como língua branca, língua saburrosa ou língua esbranquiçada, de fato, é um dos principais e primeiros passos para acabar com o mau hálito.

Há muitos mitos na internet sobre o tratamento da língua branca, que atinge aproximadamente 80% dos casos de pacientes com mau hálito, segundo estudos.

 

língua branca

Língua branca o que pode ser?

A saburra lingual é formada pelo acúmulo de resíduos de comida, bactérias e células oriundas da descamação dos tecidos da boca. Em geral, a língua branca se encontra na porção posterior do dorso da língua.

O metabolismo bacteriano que ocorre nesta região forma os famosos gases CSV (compostos sulfurados voláteis) responsáveis pelo surgimento do mau hálito.

Por que este problema deixa a língua branca?

A “mudança de cor” da língua, tornando-a branca, é provocada pelo acúmulo de resíduos alimentares associado à diminuição da formação de saliva, limpeza da língua ineficaz ou até mesmo inexistente e uma descamação anormal dos tecidos da boca.

Neste ponto, há um crescimento da proliferação das bactérias que, além de formar os gases CVS, ainda há o desenvolvimento de uma camada branca na superfície da língua.

Existem muitos fatores que provocam a diminuição do fluxo de saliva, como por exemplo:

  • Beber pouca água no decorrer do dia;
  • Algumas classes de medicamentos;
  • Remoção das glândulas salivares (responsáveis pela formação da saliva) ;
  • Tratamentos com radioterapia (câncer) na região da cabeça e pescoço.

Outros fatores que originam a formação da saburra lingual, deixando a língua branca e contribuindo diretamente para o desenvolvimento do mau hálito.

Existem situações que podem alterar de forma negativa o fluxo salivar e o crescimento da descamação dos tecidos da boca, contribuindo para o aparecimento da língua branca:

  • Uso de aparelhos dentários;
  • Hábitos deletérios, como morder canetas, lábios e bochechas;
  • Ronco;
  • Respiração bucal;
  • Uso constante de enxaguantes bucais com álcool;
  • Problemas no sistema digestivo;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Doenças sistêmicas (Diabetes Mellitus).

Identificada a existência do problema, agora é hora de eliminar a saburra lingual, combater o mau hálito e evitar o seu aparecimento.

Higiene da língua a partir do uso do limpador de língua

O primeiro passo para tratar a língua branca é a remoção do conteúdo contaminado através do limpador de língua, que consiste em um dispositivo que permite a limpeza da língua (foto abaixo).

língua branca como limpar

 

É importante também, caso se identifique este problema, encontrar outros aspectos que contribuem para algum agente que influencia diretamente na formação da língua branca, como determinadas medicações que tem como efeito colateral a redução do fluxo de saliva na boca.

 

Algumas escovas dentais possuem, na parte de trás da cabeça, um pequeno limpador de língua, que também pode ser usado para tratar a saburra lingual, porém, pelo fato do tamanho do limpador de língua ser menor, é necessária uma limpeza mais demorada e cuidadosa.

Não é aconselhado fazer a limpeza da língua com a escova dental porque, além de não ter o formato ideal, tende  a causar mais ânsia de vômito no paciente.

A limpeza da língua deverá ser  feita com muita delicadeza e cuidado, evitando que haja o sangramento. A ideia não é limpar a língua até sangrar.

Profissional responsável pelo tratamento da língua branca: dentista


3. Caseos amigdalianos (caseum ou bolinhas na garganta) – Mau hálito na garganta

Já ouviu falar da expressão “mau hálito na garganta“? Outro problema que causa mau hálito são os caseos amigdalianos são bolinhas brancas ou amareladas com odor muito ruim que se formam na garganta do paciente, mais precisamente nas criptas amigdalianas (pequenos buracos nas amígdalas).

Estas bolinhas também fazem parte das principais causas de mau hálito.

caseos amigdalianos

Os caseos amigdalianos são formados por restos alimentares, bactérias e restos celulares oriundos da descamação da mucosa oral, resultando em um mau hálito na garganta.

Vale ressaltar que a saburra lingual possui uma grande importância no desenvolvimento dos  caseos amigdalianos, principalmente por estar próximo da região.

O tratamento dos caseos amigdalianos, na maior parte dos casos, é conservador. A remoção das amígdalas é levada em conta por outros fatores, como infecções repetitivas nas amígdalas.

Gargarejos com água morna ajudam remoção dos caseos amigdalianos pois haverá uma dilatação das criptas amigdalianas, permitindo a remoção dos caseos.

Além disso, é fundamental ter uma boa higiene bucal, em particular da língua, para evitar e prevenir o acúmulo de bactérias nesta região e evitar o mau hálito na garganta.

Profissional responsável pelo tratamento: otorrinolaringologista


Você sabia que a mastigação pode ajudar a acabar com mau hálito?

Mastigar bem os alimentos podem ajudar no combate ao mau hálito. Isso acontece porque a digestão dos alimentos começa na boca através da ação da saliva.

Logo, uma boa mastigação ajudará na melhora da digestão dos alimentos, contribuindo para que o mau hálito não venha de uma má digestão.

como se livrar do mau hálito

Do outro lado, a mastigação aumenta o fluxo salivar na boca, promovendo uma maior concentração de oxigênio, criando um ambiente pouco favorável ao crescimento bacteriano, que necessita de um ambiente com pouco oxigênio.

Além disso, a própria mastigação ajuda na remoção mecânica da placa bacteriana da superfície dos dentes, que ocasiona problemas de saúde bucal que podem causar o mau hálito.


Quais os alimentos que ajudam na limpeza dos dentes e ajudam a acabar com mau hálito?

Alimentos fibrosos, como a maça, por apresentarem uma certa resistência na sua forma, ajudam bastante na limpeza dos dentes durante a mastigação, pois promovem a remoção da placa bacteriana através da mastigação.

Maça


Mau Hálito – O guia definitivo para acabar com este problema


É verdade que alimentos industrializados podem causar mau hálito?

Verdade. Enlatados e embutidos possuem um alto teor de proteínas e gordura de origem animal.
No metabolismo destes alimentos, há formação de gases com odor ruim, que cairão na corrente sanguínea e, após as trocas gasosas (chamada hematose) que ocorrem nos pulmões, estes gases serão exalados pela boca através da respiração, causando o mau hálito.
 
Logo, é importante que haja diminuição do consumo destes tipos de alimento, pois podem contribuir para o aparecimento do mau hálito.

Mau hálito estômago – causas | tratamento

Provavelmente você deve achar ou já ouviu alguém falar que o mau hálito pode vir do estômago. Será que realmente o mau hálito estomacal existe mesmo?

É comum que haja uma associação entre o mau hálito e o estômago, principalmente quando o indivíduo é portador de gastrite ou refluxo gastroesofágico.

Após o refluxo gastroesofágico, a pessoa apresenta um gosto muito ruim na boca, sendo este o primeiro motivo que faz com que as pessoas associem o mau hálito ao estômago.

Como mencionei, há mais de 50 causas de mau hálito, contudo tanto estômago como o refluxo gastroesofágico  não fazem parte desta lista.

como acabar com o mau hálito que vem do estômago

O gosto ruim e amargo que vem logo após o refluxo gastroesofágico causa um episódio de mau hálito passageiro, que desaparece após alguns segundos do refluxo.

E qual a origem deste mito do mau hálito do estômago?

O pensamento de que o mau hálito do estômago ocorre durante o jejum ou quando a pessoa come algum alimento com alto teor de enxofre, como cebolas, alhos ou alimentos gordurosos.

Quando o organismo do indivíduo passa um tempo prolongado sem receber alimentos, ele usará as  proteínas do corpo para obter energia para seu funcionamento do organismo.

Após a degradação das proteínas, haverá a formação de gases com odor forte e desagradável, que são jogados no sangue e, na hematose, eles serão exalados pela respiração, como mencionamos acima.

Ocorre o mesmo mecanismo quando há ingestão de grande quantidade de alimentos com alta concentração de gordura, proteínas ou enxofre.

Uma pesquisa realizada em uma Universidade do Canadá comprovou isso na prática. Os pés dos indivíduos pertencentes à pesquisa foram postos em contato com uma pasta de alho por um determinado período de tempo.

Algumas horas depois, os indivíduos submetidos ao teste apresentavam mau hálito.

A pele absorveu o alho, que caiu na corrente sanguínea e passou pelos pulmões, onde acontecem as trocas gasosas (hematose), sendo exalada pela boca através da respiração.

Do outro lado, o odor ruim exalado pelo refluxo é  muito diferente do que é identificado nos casos clássicos de mau hálito, que é formado por gases derivados do enxofre (compostos sulfurados voláteis), responsáveis pelo mau hálitoNo caso do refluxo gastroesofágico, não há compostos derivados do enxofre.


Por que acordamos quase sempre com mau hálito?

O mau hálito ao acordar é MUITO comum em todas as pessoas. Esta situação ocorre pelo consumo de proteínas e gordura durante o sono e pela redução do fluxo salivar, que, como já vimos, é um dos principais combatentes do mau hálito.

Aqui ocorre a mesma coisa de quando uma pessoa passa muito tempo sem comer. Na ausência de alimentos, a quantidade de glicose n organismo diminui.

por que acordamos com mau hálito

Para produzir energia, ocorre a degradação de gordura e proteínas, que libera gases ruins que caem corrente sanguínea. Em seguida, estes gases são liberados pela boca através da respiração.

Por isso que, ao acordar ou quando se passa um longo período sem ingerir alimentos, forma-se um hálito um pouco desagradável.

Porém, após a alimentação e higiene bucal, aquele mau hálito tende a desaparecer. Caso permaneça, está na hora de procurar tratamento.

B- A saliva humana age como uma protetor inviabilizando e/ou neutralizando o desenvolvimento de ácidos pelas bactérias.

Tal processo ocorre pela presença de oxigênio (O2) em sua composição, impedindo a formação de ácidos pelas bactérias anaeróbias, que são bactérias que se desenvolvem em baixas concentrações de oxigênio.

Além disso, Durante o sono, há um processo de redução da produção de saliva, favorecendo a formação de ácidos voláteis (que evaporam rapidamente), causando o mau hálito ao acordar.

Para saber mais sobre a placa bacteriana, clique aqui!


Determinadas medicações, como antidepressivos, por exemplo, podem reduzir o fluxo de saliva, que pode contribuir para o crescimento bacteriano. Com o aumento da formação dos ácidos, origina-se a halitose.

A xerostomia (diminuição ou ausência do fluxo salivar) é um fator que também deverá ser levado  em consideração por diversos fatores explicados acima.

Algumas causas da  xerostomia:

  • Tabagismo (fumo);
  • Determinadas medicações;
  • Higiene bucal deficiente;
  • Respiração bucal;
  • Baixa ingestão de água.

De maneira geral, os sinais e sintomas da boca seca (xerostomia) são:

  • Rachadura dos lábios e mucosa oral;
  • Aumento da probabilidade de de problemas bucais, como cárie dentária e gengivites, já que a saliva atua como protetora;
  • Feridas na boca;
  • Sangramento labial que ocorre principalmente quando os lábios são esticados durante o sorriso ou um bocejo;
  • Sensação de queimação e secura na boca e garganta;
  • Mau hálito;
  • Dificuldades de engolir, falar e mastigar;
  • Dificuldades ou inviabilidade de adaptação das próteses totais (dentaduras), uma vez que a saliva tem participação fundamental na fixação e sustentação da dentadura.

Leia mais sobre boca seca clicando no link abaixo:

A Boca Seca Pode Causar Mau Hálito?


A boca amarga pode causar mau hálito?

A mudança no paladar (gosto) é conhecido por disgeusia, e pode estar relacionada a um determinado tipo de gosto, como amargo, ou para um tipo de gosto distinto do que o indivíduo está normalmente acostumada.

Para se ter uma noção, o sentido da gustação reconhece cinco gostos básicos:

  • Ácido;
  • Doce;
  • Amargo;
  • Umami;
  • Salgado.

A boca amarga o que pode ser?

É bastante comum as pessoas fazerem uma relação da boca amarga com o mau hálito, pois elas mencionam um gosto ruim na boca. Estes dois problemas desagradáveis podem estar presentes ao mesmo tempo.

Porém, existem casos nos quais o indivíduo possui o problema da boca amarga, todavia, sem ter a presença do mau hálito.

A dificuldade de distinção acontece porque o portador da boca amarga possui uma dificuldade em saber qual a real causa do mau hálito.

Por isso que é de suma importância a orientação profissional para correto diagnóstico do problema.

Leia mais sobre a boca amarga, sua relação com o mau hálito e o seu tratamento clicando no link abaixo:

A Boca Amarga Pode Causar Mau Hálito? 

Pessoas que apresentam quadros de sinusite, em algumas situações, apresentam formação de mau hálito por causa das secreções ricas em proteínas provenientes dos seios da face.

Deficiência vitamínicas também podem contribuir para a formação dos gases responsáveis pelo mau hálito. Esta situação ocorre devido à descamação abundante da mucosa, liberando células mortas, provocando a halitose.


A tensão pré menstrual (TPM) causa mau hálito?

De fato, as alterações hormonais que a mulher sofre neste período podem causar mau hálito, embora não seja de uma magnitude tão forte. 
Além disso, a ansiedade decorrente da TPM também influencia na redução da formação de saliva pelo organismo.  

As crianças também podem ter mau hálito?

Percebam na foto acima que o siso está deitado, em uma posição que não favorece a higiene bucal adequada, o que inclui uma boa escovação e o uso do fio dental na região.

Restos de comida podem ficar retidos na região dos sisos, ocasionando o desenvolvimento de problemas como a cárie dentária e gengivite na região e, como já vimos, ambos os problemas podem causar o mau hálito.

Além disso, o dente siso inflamado pode causar halitose, uma vez que toda aquela região está inflamada.  Em um quadro inflamatório chamado pericoronarite, o paciente apresenta um dente siso inflamado, que pode evoluir para uma infecção, potencializando o mau hálito.


É verdade que o mau hálito pega? Pode ser transmitido pelo beijo?

Um dos grandes mitos sobre o mau hálito. Ao contrário do que muita gente pensa, o mau hálito não é transmitido porque o problema que ocorre é de ordem local, isto, porque uma pessoa não teve uma higiene bucal adequada, por exemplo. 

Além disso, todas as pessoas já possuem estas bactérias na boca. O que vai permitir o desenvolvimento do mau hálito ou não são outros fatores, como uma higiene bucal satisfatória.


Próteses dentárias podem causar mau hálito?

Sim. Contudo, na maior parte dos casos, isso ocorre por negligência tanto na higiene bucal quanto na higiene da prótese dentária.

dentadura mau hálito

Quando a prótese não é higienizada, ela pode reter alimentos que servirão de alimentos para as bactérias causadoras do mau hálito.


Chicletes podem acabar com mau hálito?

Outro mito que ouço bastante. Os chicletes apenas mascaram o mau hálito por alguns instantes.

Para que realmente ocorresse o tratamento do mau hálito pelo uso de chicletes, a pessoa teria que mastigar chicletes o dia todo, algo bem complicado de se fazer.


Qual o melhor remédio para mau hálito?

De fato, há remédios para mau hálito no mercado, porém estas medicações atuam como agentes coadjuvantes, ou seja, em combinação com o tratamento principal que está combatendo a causa do mau hálito. Digamos que eles atuam como auxiliares no tratamento.

remédios para o mau hálito

Ou seja: usar remédio para mau hálito pode até mascarar o problema, mas não vai te fazer ter resultados eficientes, já que será apenas um tratamento paliativo para o mau hálito, uma vez que não atua na causa do problema.

Vamos imaginar o seguinte: se uma pessoa está com febre, e a febre está sendo causada por uma infecção, a pessoa até pode tomar um analgésico para baixar a febre, mas logo voltará porque a infecção não foi tratada.

Logo, a pessoa deverá fazer uso de analgésicos para baixar a febre, desde que seja feito o uso de antibióticos para tratar a causa da febre, que é a infecção.

Ocorre exatamente a mesma coisa com o uso de remédio para mau hálito. De nada adianta tomar um remédio para mau hálito se não tratar a real causa do problema.

 Veja algumas causas de mau hálito abaixo com seu respectivo tratamento correto:

  • Gengivite: inflamação gengival que causa diversos sintomas como sangramento gengival, gengiva inchada e mau hálito. O tratamento consiste na remoção da placa bacteriana, e esta remoção é realizada pelo dentista;
  • Doença periodontal (periodontite ou piorreia): evolução da gengivite que causa sintomas mais graves, como a destruição óssea e perda do dente. Assim como a gengivite, o tratamento da doença periodontal consiste na remoção do tártaro e da placa bacteriana, e esta remoção é realizada pelo dentista;
  • Saburra Lingual (língua branca): acúmulo de células mortas, restos alimentares e bactérias na parte posterior da língua. A saburra lingual é uma das principais responsáveis pelo mau hálito. O diagnóstico é feito pelo dentista e o tratamento e controle poderá ser feito pelo paciente.

Observe que os três problemas acima requerem a atuação do dentista para tratar o mau hálito.

Ou seja, não adianta nada tomar remédio para mau hálito se a causa do problema não for tratada da forma correta. Em outras palavras, o mau hálito vai voltar rapidamente. 

Porém, tratamentos feitos ao mesmo tempo tendem a ser mais eficazes. Vamos imaginar uma situação na qual um indivíduo tinha um mau hálito ocasionado pela gengivite.

Além de tratar a gengivite com o dentista, que é único capacitado para este fim, o paciente poderá e DEVERÁ fazer ao mesmo tempo:

  • Uso de enxaguatórios bucais (desde que indicado pelo dentista);
  • Realizar a higiene bucal correta e frequente (3x ao dia ou após cada refeições), fazendo a escovação dental, uso do fio dental e do limpador de língua;
  • Beber pelo menos 2,5L de água no decorrer do dia para ajudar na formação de saliva;
  • Ingerir alimentos detergentes, como a maça;
  • Ingerir sucos com propriedades antibacterianas, como suco de limão;
  • Fazer uso de chás que auxiliam na digestão e no funcionamento do intestino, como o chá de boldo.

remédio para mau hálito tanto caseiro quando industrializado. Os remédios para o mau hálito possuem valor, desde que sejam utilizados de forma complementar ao tratamento principal!


Como saber se tenho mau hálito?

O diagnóstico não é realizado somente pelo Dentista, mas também por outras especialidades médicas, se for necessário.

Como a maior parte dos pacientes associa o mau hálito à cavidade bucal, o Dentista é, usualmente, o profissional mais procurado e mais capacitado para resolver este problema. 

No mercado, há aparelhos que mensuram a concentração dos compostos sulfurados voláteis (gases CSV), responsáveis pelo mau hálito

São aparelhos  que trabalham com escala de valores (de 1 a 4). Dependendo do valor detectado, não é possível identificar uma concentração de gases CSV que cause mau hálito.

Esse meio de diagnóstico é fundamental para pacientes que persistem em dizer que possem  mau hálito, quadro este conhecido como halitofobia,  ou nos pacientes que possuem uma alteração anormal no olfato denominada disosmia, que é caracterizada pela sensação de odores ruins.

Logo, a pessoa acha que há algum problema na boca, quando na realidade o problema poderá até ser neurológico.

Outro meio importante é o teste organoléptico. O dentista diagnostica o mau hálito pela sensibilidade do odor exalado a partir da cavidade bucal do cliente. Ou seja, quando o paciente fala ou expira, é possível sentir o mau hálito.

O objetivo desta postagem é oferecer orientação com algumas informações para que haja  consciência da possível presença do mau hálito, sendo de suma importância procurar e iniciar um tratamento para o mau hálito o mais breve possível.

Primeiro, iremos começar com este teste abaixo:

Passo 1: caso haja uma suspeita de um possível quadro de mau hálito, pode-se realizar um teste sozinho.você poderá realizar o teste sozinho. Primeiro, lamba o pulso e aguarde 30 segundos.

Após isso, responda às perguntas abaixo:
  • Respira pela boca?
  • Tem tártaro no dente?
  • Problemas com intestino preso?
  • Bebe pouco líquido?
  • Você Fuma?
  • Sente a boca seca?Sente boca amarga?
  • Faz dieta?
  • A língua está esbranquiçada?
  • A gengiva sangra durante a escovação dos dentes ou  a mastigação dos alimentos?
  • Fica horas sem beber água ou ingerir alimentos?
  • Você Ronca?
  • Ingere bebida alcoólica mais de duas vezes por semana?
  • Faz mais de 6 meses que não vai à consulta periódica com o dentista?
  • As pessoas se afastam enquanto você fala?
Se, ao fim do teste acima, seu pulso estiver com cheiro ruim e, além disso,  tiver respondido SIM para duas ou mais perguntas acima, é muito provável que esteja com o quadro de mau hálito.
Contudo, esta dúvida poderá ser ratificada através da consulta com profissionais de saúde.
Então, dando continuidade, vamos saber como descobrir se uma pessoa está ou não com halitose:

1. Pergunte para alguém se confiança se você está com mau hálito

Apesar de ser algo constrangedor e embaraçoso, a pessoa poderá falar com uma certa precisão se você possui mau hálito ou não. Peça SEMPRE a alguém de confiança, já que é uma situação bem  chata e complicada de se expor entre seus amigos e parentes.

Peça para seu amigo verificar o hálito no mínimo quatro vezes ao dia em horários diferentes. Uma forma de avaliar não só a presença do mau hálito como o grau é através de uma escala que consiste em:

A. Chame uma pessoa de sua confiança para fazer o teste;

B. Fique com a boca fechada por 2 minutos. Em seguida, a uma distância de 15 a 20 cm da outra pessoa, sopre lentamente no nariz dela, sem colocar muita força na hora do sopro. Peça para a pessoa dar uma nota de 0 a 5 e compare com a escala abaixo:

Nota 0 (ausência de odor) : nenhum mau cheiro foi percebido pela pessoa que examinou;

Nota 1 (Hálito natural): existe um odor natural no hálito, porém, este não pode ser considerado um problema de halitose;

Nota 2 (Halitose leve): um leve grau de mau hálito é percebido pela pessoa que examinou ao soprar ou expirar a uma distância de 30 cm;

Nota 3 (Halitose moderada): o mau hálito é percebido durante a fala a uma distância de 30 cm;

Nota 4 (Halitose forte): o mau hálito é percebido durante a fala, contudo, a uma distância acima de 1 metro;

Nota 5 (Halitose severa): o mau hálito pode ser facilmente percebido em todo o ambiente.

Notas compreendias entre 0 e 1 são consideradas normais. Notas compreendidas entre 2 e 5 requerem investigação e, se for o caso, tratamento para curar o mau hálito.

2. Marcando uma consulta com um profissional de saúde para confirmar a existência de do mau hálito

Em boa parte dos casos, o mau hálito possui como origem problemas de saúde bucal. Gengivites, saburra lingual, cárie dentária, periodontite, etc. Diante disso, o primeiro profissional que deverá ser procurado para tratamento do mau hálito é o dentista.

Além de identificar se existe algum problema na boca que possa causar o mau hálito, o dentista fará usos de aparelhos que mensuram concentração de compostos sulfurados voláteis (CSV), como é o caso do Halímetro.

Acabar com o mau halito

O grande problema é que a pessoa não sabe que tem o problema, já que o olfato do paciente se “acostuma” com aquele odor, como discutimos acima.

 

09 Sinais De Que Você Tem Mau Hálito E Ainda Não Percebeu

 

  1. Sua gengiva sangra quando escova os dentes ou se alimenta: como já vimos, o sangramento gengival é sinal de gengivite;
  2. As pessoas se afastam de você durante um diálogo: ação inconsciente da pessoa que sente o mau cheiro porque o cérebro considera aquilo nocivo ou perigoso;
  3. Alguém já te falou mais de uma vez que está com mau hálito;
  4. Você possui problemas de paquera ou manutenção do relacionamento por causa do mau hálito;
  5. As pessoas vivem te oferecendo balas, bombons e chicletes constantemente;
  6. Apelidos e mais apelido;
  7. Boca seca com frequência;
  8. Presença da Saburra lingual (língua branca);
  9. Presença de caseos amigdalianos (bolinhas amarelas ou brancas na garganta).

 4 – Como acabar com o mau hálito?

Para acabar com o mau hálito, a partir de um diagnóstico preciso, o Dentista pode indicar os clientes para as direções de tratamento, explicando aos mesmos as possíveis causas e o prognóstico do problema.

Caso a origem do problema não esteja relacionada à cavidade bucal, o Dentista encaminhará o paciente ao especialista mais adequado, como é o caso do tratamento de caseos amigdalianos, que é responsabilidade do otorrinolaringologista.

O profissional de saúde pode solicitar exames laboratoriais a fim de identificar possíveis carências de vitaminas (dosagem de vitamina) que podem influenciar na formação do mau hálito.

Pode-se também mensurar a quantidade de saliva produzida pelas glândulas salivares através da sialometria. 

Caso os problemas que estejam causando o mau hálito sejam de origem bucal, o tratamento das prováveis causas de mau hálito (placa bacteriana e saburra lingual) é indicado e deve ser de realizado exclusivamente pelo dentista.

Os limpadores de língua (raspadores linguais) são excelentes armas para controlar e acabar com a saburra lingual. Um problema relatado por muitos pacientes é a ânsia de vômito que a limpeza da língua pode causar. 

O uso de enxaguantes bucais e chicletes fazem parte do cotidiano de muitas pessoas que desejam “prevenir” e acabar com o mau hálito. Contudo, apenas irão mascarar o problema, visto que não atuam na causa do mau hálito.

Leia mais sobre enxaguantes bucais clicando no link abaixo:

Enxaguante Bucal: Tudo O Que Você PRECISA Saber.


Como acabar com o mau hálito com métodos caseiros?

Na internet, há diversas informações erradas sobre como acabar com este horrível problema. Essas informações incorretas não só serão ineficazes mau cheiro da boca. É possível fazer iniciar o tratamento do mau hálito em casa, com pequenas atitudes.

Por exemplo, a pessoa pode ingerir um chá para mau hálito, que nada mais é do que um chá que melhora a digestão, como veremos adiante.

Veja abaixo 6 dicas caseiras SIMPLES e BARATAS para combater com o mau hálito

1. Tome pelo menos 2,5L de água por dia

A saliva tem muitas funções, e uma delas é preservar a saúde da boca a partir da atuação nas bactérias que originam vários problemas, incluindo a halitose.

Quando não há a ingestão da quantidade certa de água por dia, existe uma queda da formação de saliva do corpo.

Com baixa quantidade de saliva na boca, há um crescimento da proliferação bacteriana e da descamação da mucosa oral, que podem causar o mau hálito. Se programar para beber pelo menos 8 copos com água durante o dia é principal passo para Eliminar o mau hálito.

2.Alimente-se de frutas e chá para mau hálito que favorecem a digestão e o trabalho do intestino

Nem todas as pessoas sabem, mas a prisão de ventre pode ocasionar o mau hálito.

Isto acontece pois os gases oriundos das fezes que ficam presos são descartados no sangue e, quando alcançam aos pulmões, são liberados através da respiração. Frutas fibrosas feito as maçãs ajudam bastante na limpeza natural na boca.

→ Mau hálito: causas e tratamento. O guia definitivo para acabar com este problema

Maçãs, pepinos e cenouras, por exemplo, são considerados alimentos detergentes , na mastigação destes alimentos crus, há a realização de um tipo de raspagem nos dentes, removendo a placa bacteriana que pode provocar muitos problemas, incluindo o mau hálito.

Além disso, há muitos alimentos, como o chás e o suco de frutas(limão, por exemplo), que contribuem na digestão, descartando os gases que podem originar o mau hálito. Veja abaixo alguns alimentos que podem ajudar a eliminar o mau hálito.

A. Canela e erva Doce (funcho)

Estes alimentos têm propriedades antimicrobianas, isto é, combatem os microorganismos e bactérias que podem originar problemas à saúde geral.

Realizar a mastigação de uma colher de sopa de erva doce estimulará a produção de saliva, atuando no combate ao mau hálito.

O chá com estes ingredientes também pode ser considerado um chá para mau hálito. Pode-se fazer um chá de erva doce ou de canela adicionando uma ou duas colheres de chá de sementes de erva-doce em um copo com água quente por 5 a 10 minutos.

B. Cravo e Sala

Outro chá para mau hálito é o de cravo e a salsa, que também combatem as bactérias e são bastante eficientes para acabar o mau hálito, ainda que seja rapidamente. É necessário apenas mastigar poucos pedaços.

Ainda é possível também fazer um chá com o cravo, adicionando uma colher de chá deixar ferver por 5 a 10 minutos.

C. Suco de limão

O limão tem sido utilizado como opção caseira para tirar o mau hálito durante muito tempo. Primeiramente ele contribui para a eliminação dos gases que provocam o mau hálito.

Além disso, o limão apresenta características adstringente e bactericida, destruindo bactérias na cavidade bucal e em todo o trato intestinal.

tirar o mau hálito

E, como mencionei acima, o limão possui uma função reguladora no intestino, diminuindo a quantidade de gases com mau cheiro que caem na corrente sanguínea e são eliminados pela respiração.

D. Chá de Boldo 

Há mais de 50 razões para o mau hálito. Uma parcela destas causas é originada por problemas na digestão.

Os gases originados na digestão são desviados para a corrente sanguínea e exalados pela respiração. É possível fazer uso de chá para mau hálito, como é o caso do chá de boldo

O chá de boldo pode ser considerado um chá para mau hálito porque auxilia muito no processo de digestão dos alimentos, ajudando a evitar que os gases pútridos sejam liberados através da boca.

Alimentar-se de alguns alimentos como o café, o álcool, o alho ou a cebola, assim como fumar, “ajudam” a piorar o mau cheiro na boca.

Também há medicamentos que apresentam como um dos efeitos colaterais diminuir a produção de saliva e ocasionar a boca seca, o que é sinônimo de halitose.

Outro fator pode ser uma dieta pobre em carboidratos. Estes nutrientes se encontram no macarrão, no pão, no arroz e nos legumes e uma dieta pobre em carboidratos faz com que o organismo utilize as gorduras como fonte energética.

3. Reduza a ingestão de alimentos ricos em proteínas, gorduras e alimentos ricos em enxofre

Já que estamos falando de alimentação, vale ressaltar que existem alimentos que contribuem para a formação do mau hálito.

Aqui lembro que a proposta não é cortar de vez, mas não exagerar no consumo, como por exemplo:

• Cebola ou alho;
• Queijo;
• Cafés;
• Salames;
• Pepperoni.

4. Ficar horas sem ingerir alimentos

O corpo humano utiliza glicose para gerar energia, e esta vem do consumo de alimentos. Se um indivíduo passa longos prazos sem alimentar-se, o corpo humano começa a fazer uso das proteínas corporais para produção de energia.

A destruição das proteínas do corpo humano provocam a formação de gases que serão descartados pela boca, causando o mau hálito.

Por isso que é interessante que haja ingestão de alimentos (frutas, por exemplo) a cada 3 horas, a fim de evitar que o organismo faça uso as proteínas do corpo como fonte de energia.

5. Acostume-se a fazer atividades físicas que diminuem a ansiedade e o stress

Poucos sabem disso, mas a ansiedade e o stress contribuem para a redução do o fluxo salivar, o que pode auxiliar para a formação do mau hálito.

Focar-se em ter uma vida mais tranquila e fazer atividades físicas ajudarão para a redução do stress e ansiedade.

6. Ter uma boa higiene bucal regular e saudável ajuda BASTANTE a prevenir e eliminar o mau hálito

Como discutimos, não se pode debater em acabar o mau hálito sem falar a higiene bucal.

Problemas de saúde bucal como a cárie dentária, gengivite ou saburra lingual causam a liberação dos compostos sulfurados voláteis (CSV), que originam o mau hálito.

É importante fazer a higiene bucal pelo menos 3x ao dia ou após as refeições. Higienizar os dentes através da escova de dentes e do fio dental e a língua por meio do limpador é essencial.


Mau hálito com cheiro de fezes:? o que fazer?

Algumas pessoas podem mencionar que estão com mau hálito com cheiro de fezes. Isso ocorre  porque, durante a proliferação bacteriana, há formação de alguns compostos químicos, dentre eles o escatol, presente nas fezes. Por isso que o paciente pode relatar mau hálito com cheiro de fezes.


Dente podre causa Mau hálito?

Sim, um dente podre pode causar mau hálito porque, além de reter alimentos que servirão para as bactérias, na maior parte das vezes, um dente podre tem que ter o canal tratado ou que ser extraído.

Além disso, um dentre podre pode ocasionar uma infecção, que pode também ser a causa da halitose.

Não podemos esquecer também do dente furado (dente cariado) que, assim como o dente podre, pode reter alimentos e causar o mau cheiro na boca. Tanto ao dente furado quanto o dente podre requerem atenção do paciente e do dentista.


Halitose x repercussão social

Os problemas do mau hálito vão além do simples mau cheiro exalado pela boca. Repercussões como exclusão social, separação, perda de emprego, depressão, dentre outros, podem ocorrer.

A pessoa portadora do mau hálito e que sabe que tem o problema possui dificuldade de convívio social, já que sempre está presente aquele “medo” de alguém sentir mau cheiro exalado pela boca.

E este receio de passar para as pessoas esta imagem de “má higiene” ou “poucos cuidados”  com a saúde faz com que vária pessoas virem reféns dos tratamentos paliativos, como é o uso de chicletes e enxaguantes bucais.

O indivíduo que “acha” que possui mau hálito muitas vezes, por vergonha, não procura confirmar nem com amigos e parentes mais íntimos, se eles percebem o mau cheiro. A vergonha também existe com o Dentista.

Não é incomum alguns pacientes pedirem que a consulta odontológica seja realizada sem a presença da minha auxiliar, justamente porque o paciente só quer que eu saiba do problema de tanta vergonha que ele está.

Ciente desta inibição por parte do paciente, cabe ao Dentista durante a consulta realizar perguntas sobre este problema, dando espaço ao paciente para falar sobre o assunto.

Como podemos ver, a halitose não é uma doença,mas sim um sintoma de que algo de errado está ocorrendo no nosso corpo. Um correto diagnóstico promoverá um tratamento adequado a cada caso. 


Gostou da postagem?  Que bom! =)

Compartilhe com seus amigos!

Caso haja alguma dúvida, não hesite em perguntar abaixo! Mande sua dúvida que farei de tudo para te ajudar!

Grande abraço!

Wilson Correia Jr.

Conheça o nosso programa de combate ao mau hálito. Clique na imagem abaixo e saiba MAIS.

→ Mau hálito: causas e tratamento. O guia definitivo para acabar com este problema

 → Mau hálito: causas e tratamento. O guia definitivo para acabar com este problema

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Leave comment

Rua João Fernandes Vieira, 547, sala 305

Boa Vista, Recife/PE

(81) 30627303

Agende sua consulta

Horário de Funcionamento

Seg - Sex: 8:00 - 17:00

Fale Conosco

[email protected]
error: Proibida a cópia sem autorização